Agenda

Jul
2
Sáb
Silêncio é o barulho baixinho – Alcochete @ Casa do Povo de Alcochete
Jul 2@21:30_22:00

Silêncio é o barulho baixinho

45 minutos – público em geral

Um coro de vozes leitoras pensado, dinamizado e dirigido pela Andante Associação Artística. Um coro, não para cantar mas para ler. Um coro poético-cómico na sua intenção. Lemos a várias vozes e construímos com elas um novo universo sonoro. Acentuamos ou diluímos uma emoção, destacamos ou escondemos um significado, tentamos dar um som harmonioso, polifónico, emocionante, às páginas da literatura.
Esta apresentação, “Silêncio é o barulho baixinho”, procura trazer mais cambiantes ao trabalho realizado anteriormente. Um coro de vozes a trabalhar o silêncio de um modo que procuramos que seja divertido: a nossa irreverente abordagem aos poemas clássicos; os poemas escritos para crianças transformados em discursos políticos; desde o murmúrio ao grito; desde a forma mais tradicional de ler em coro à forma mais estapafúrdia que arranjámos para ler em coro; da organização ao caos. Sempre a rir. Chiuuuuu!

Jul
6
Qua
A cor do limão – Sesimbra @ Externato Santa Joana
Jul 6@10:00_11:30

A COR DO LIMÃO

30 minutos – para crianças dos 6 meses aos 5 anos

(sessões só para as crianças da instituição)

Espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Luís de Camões, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões.

Uma pastora junta o seu rebanho, dá-lhes de comer e conta-lhes uma história de amor. Canta-lhes para as ajudar a comer, para as adormecer, para brincarem e para descobrirem palavras novas.
Um espectáculo verde para bebés. Um espectáculo cheio de interrogações e de poesia:
Onde está o verde? Nas ervas dos campos? No limão verde, amarelo, azul? No prato da sopa? Nos olhos do meu bem?
A cor, o som, o canto, a dança das palavras. As palavras são o nosso brinquedo favorito.

Um espectáculo para bebés a partir de um poema de Camões. Um poema de amor onde a música, as imagens, as cores e os sentidos se hão-de conjugar para criar um momento de partilha entre a arte e os bebés, entre a poesia e as famílias, entre a luz dos nossos e dos vossos olhos.

Jul
8
Sex
Uma Odisseia – Maratona de Leitura da Sertã @ Casa da Cultura da Sertã
Jul 8@22:00_23:00

UMA ODISSEIA

60 minutos
Alunos do ensino secundário e público em geral

“Fala-me, Musa, do homem versátil que tanto vagueou”, assim começa a Odisseia de Homero.
Vamos contar uma história, uma odisseia, uma viagem pela literatura portuguesa e pela história da leitura.
E vamos rir. Sim, rir. Não conhecemos nada tão eficaz para lutar contra o medo. Porque é disso que queremos falar. Porque é disso que fala a literatura. Uma mulher (Penélope?) conta a história (fia e desfia) de uma viagem inventada. As palavras que usa para a contar são de Camões, Gil Vicente, Almeida Garrett, Eça de Queirós, Camilo Castelo Branco, Fernando Pessoa, etc. Enquanto conta, podemos descobrir uma história da leitura. E durante uma hora, o tempo que dura o espectáculo, havemos de rir com as venturas e desventuras destes personagens convocados. Havemos de rir com os seus planos, as suas lutas, as suas aspirações, os seus amores e desamores, com as suas quedas. E a rir, havemos de aprender qualquer coisa. A lermo-nos melhor, por exemplo. E a lutar contra o medo com armas melhores do que pistolas e espadas.

 

Jul
12
Ter
Afinal o Caracol – Alenquer @ Colégio Reino do Alão
Jul 12@10:00_10:30

  Afinal o Caracol
25 minutos – Bebés dos 6 meses aos 3 anos
(também para crianças dos 3 aos 5 anos)

(só para as crianças da instituição)

Espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Fernando Pessoa, música de Joaquim Coelho e ilustrações de Mafalda Milhões.
A história de um caracol, das cócegas que ele fazia, de como ele virava e girava, e de como acabou por não cair. Brincamos com as palavras. São o nosso brinquedo favorito. Brincamos com a música das palavras, com a leveza das palavras, com o tamanho das palavras, com a pressa e a lentidão das palavras e também… com o silêncio.

Set
3
Sáb
Silêncio é o barulho baixinho – Feira do Livro de Lisboa @ Pavilhão das Bibliotecas de Lisboa
Set 3@18:00_18:30

Silêncio é o barulho baixinho

35 minutos – público em geral

Um coro de vozes leitoras pensado, dinamizado e dirigido pela Andante Associação Artística. Um coro, não para cantar mas para ler. Um coro poético-cómico na sua intenção. Lemos a várias vozes e construímos com elas um novo universo sonoro. Acentuamos ou diluímos uma emoção, destacamos ou escondemos um significado, tentamos dar um som harmonioso, polifónico, emocionante, às páginas da literatura.
Esta apresentação, “Silêncio é o barulho baixinho”, procura trazer mais cambiantes ao trabalho realizado anteriormente. Um coro de vozes a trabalhar o silêncio de um modo que procuramos que seja divertido: a nossa irreverente abordagem aos poemas clássicos; os poemas escritos para crianças transformados em discursos políticos; desde o murmúrio ao grito; desde a forma mais tradicional de ler em coro à forma mais estapafúrdia que arranjámos para ler em coro; da organização ao caos. Sempre a rir. Chiuuuuu!

Out
8
Sáb
A cor do limão – Benavente @ Biblioteca Odete a Carlos Gaspar
Out 8@10:30_12:00

A COR DO LIMÃO

30 minutos – para crianças dos 6 meses aos 3 anos

(entrada gratuita, inscrição necessária)

Espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Luís de Camões, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões.

Uma pastora junta o seu rebanho, dá-lhes de comer e conta-lhes uma história de amor. Canta-lhes para as ajudar a comer, para as adormecer, para brincarem e para descobrirem palavras novas.
Um espectáculo verde para bebés. Um espectáculo cheio de interrogações e de poesia:
Onde está o verde? Nas ervas dos campos? No limão verde, amarelo, azul? No prato da sopa? Nos olhos do meu bem?
A cor, o som, o canto, a dança das palavras. As palavras são o nosso brinquedo favorito.

Um espectáculo para bebés a partir de um poema de Camões. Um poema de amor onde a música, as imagens, as cores e os sentidos se hão-de conjugar para criar um momento de partilha entre a arte e os bebés, entre a poesia e as famílias, entre a luz dos nossos e dos vossos olhos.

Out
15
Sáb
A cor do limão – Loulé @ Biblioteca Municipal Sophia de Mello Breyner Andresen
Out 15@10:30_11:15

A COR DO LIMÃO

30 minutos – para crianças dos 6 meses aos 3 anos

(entrada gratuita, inscrição necessária)

Espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Luís de Camões, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões.

Uma pastora junta o seu rebanho, dá-lhes de comer e conta-lhes uma história de amor. Canta-lhes para as ajudar a comer, para as adormecer, para brincarem e para descobrirem palavras novas.
Um espectáculo verde para bebés. Um espectáculo cheio de interrogações e de poesia:
Onde está o verde? Nas ervas dos campos? No limão verde, amarelo, azul? No prato da sopa? Nos olhos do meu bem?
A cor, o som, o canto, a dança das palavras. As palavras são o nosso brinquedo favorito.

Um espectáculo para bebés a partir de um poema de Camões. Um poema de amor onde a música, as imagens, as cores e os sentidos se hão-de conjugar para criar um momento de partilha entre a arte e os bebés, entre a poesia e as famílias, entre a luz dos nossos e dos vossos olhos.

Out
27
Qui
Quem quer ser Saramago – Figueira da Foz @ Centro de Artes
Out 27@11:00_16:00

60 minutos

A grande e decisiva arma é a ignorância. É bom, que eles nada saibam, nem ler, nem escrever, nem contar, nem pensar, que considerem e aceitem que o mundo não pode ser mudado, que este mundo é o único possível, tal como está, que só depois de morrer haverá paraíso… JS in Levantado do Chão
Agora, mais do que nunca, as palavras de José Saramago ajudam-nos a compreender, a lutar e a ultrapassar os tempos conturbados em que vivemos.
Quem quer ser Saramago?
Como num jogo somos levados através do universo da escrita de José Saramago, com avanços e recuos, ultrapassando uma dificuldade aqui, fazendo uma descoberta ali.
Quem quer ser Saramago?
Uma viagem contra a crueldade, a humilhação e a mentira, guiada pela “Voz” e pela obra do único Nobel da língua portuguesa, com destino a um mundo mais digno, justo e verdadeiro.

Out
29
Sáb
A cor do limão – Oeiras @ Biblioteca Municipal de Oeiras
Out 29@10:30_11:15

A COR DO LIMÃO

30 minutos – para crianças dos 6 meses aos 3 anos

(entrada gratuita, inscrição necessária)

Espectáculo de promoção da leitura para bebés, com poesia de Luís de Camões, música de Joaquim Coelho e imagem de Mafalda Milhões.

Uma pastora junta o seu rebanho, dá-lhes de comer e conta-lhes uma história de amor. Canta-lhes para as ajudar a comer, para as adormecer, para brincarem e para descobrirem palavras novas.
Um espectáculo verde para bebés. Um espectáculo cheio de interrogações e de poesia:
Onde está o verde? Nas ervas dos campos? No limão verde, amarelo, azul? No prato da sopa? Nos olhos do meu bem?
A cor, o som, o canto, a dança das palavras. As palavras são o nosso brinquedo favorito.

Um espectáculo para bebés a partir de um poema de Camões. Um poema de amor onde a música, as imagens, as cores e os sentidos se hão-de conjugar para criar um momento de partilha entre a arte e os bebés, entre a poesia e as famílias, entre a luz dos nossos e dos vossos olhos.

Nov
16
Qua
Quem quer ser Saramago – Setúbal @ Local a designar
Nov 16@11:00_12:00

60 minutos

(sessões para os alunos do ensino secundário do concelho)

A grande e decisiva arma é a ignorância. É bom, que eles nada saibam, nem ler, nem escrever, nem contar, nem pensar, que considerem e aceitem que o mundo não pode ser mudado, que este mundo é o único possível, tal como está, que só depois de morrer haverá paraíso… JS in Levantado do Chão
Agora, mais do que nunca, as palavras de José Saramago ajudam-nos a compreender, a lutar e a ultrapassar os tempos conturbados em que vivemos.
Quem quer ser Saramago?
Como num jogo somos levados através do universo da escrita de José Saramago, com avanços e recuos, ultrapassando uma dificuldade aqui, fazendo uma descoberta ali.
Quem quer ser Saramago?
Uma viagem contra a crueldade, a humilhação e a mentira, guiada pela “Voz” e pela obra do único Nobel da língua portuguesa, com destino a um mundo mais digno, justo e verdadeiro.

Nov
18
Sex
Quem quer ser Saramago – Torres Novas @ Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes
Nov 18@21:30_22:30

60 minutos

A grande e decisiva arma é a ignorância. É bom, que eles nada saibam, nem ler, nem escrever, nem contar, nem pensar, que considerem e aceitem que o mundo não pode ser mudado, que este mundo é o único possível, tal como está, que só depois de morrer haverá paraíso… JS in Levantado do Chão
Agora, mais do que nunca, as palavras de José Saramago ajudam-nos a compreender, a lutar e a ultrapassar os tempos conturbados em que vivemos.
Quem quer ser Saramago?
Como num jogo somos levados através do universo da escrita de José Saramago, com avanços e recuos, ultrapassando uma dificuldade aqui, fazendo uma descoberta ali.
Quem quer ser Saramago?
Uma viagem contra a crueldade, a humilhação e a mentira, guiada pela “Voz” e pela obra do único Nobel da língua portuguesa, com destino a um mundo mais digno, justo e verdadeiro.

Abr
19
Qua
Andante(des)Concertante – Torres Vedras @ Cine-Teatro
Abr 19@10:30_11:30

ANDANTE(des)CONCERTANTE
Concerto de poesia para crianças

60 minutos

E se uma ida ao teatro nos transformasse em músicos de uma orquestra?
E se essa orquestra se transformasse numa floresta?
E se essa floresta nos fizesse amar as árvores?
E se as árvores desatassem a falar?
E se a fala das árvores nos mostrasse como as palavras dançam?

E se uma ida ao teatro fosse pura poesia?

Andante(des)Concertante
Um concerto feito de poesia, música, magia, heróis, pings e bongs, bailados de mãos e… silêncio.

A maestrina conduz uma floresta, e há uma orquestra, que dividida por naipes e com muita poesia, vai ensaiando com brincadeiras, coreografias, músicas, sons de vento e de pássaros e até de palavras proibidas.

No final, floresta e orquestra farão a sua apresentação… e haverá uma surpresa.

Andante(des)Concertante – Torres Vedras @ Cine-Teatro
Abr 19@14:00_15:00

ANDANTE(des)CONCERTANTE
Concerto de poesia para crianças

60 minutos

E se uma ida ao teatro nos transformasse em músicos de uma orquestra?
E se essa orquestra se transformasse numa floresta?
E se essa floresta nos fizesse amar as árvores?
E se as árvores desatassem a falar?
E se a fala das árvores nos mostrasse como as palavras dançam?

E se uma ida ao teatro fosse pura poesia?

Andante(des)Concertante
Um concerto feito de poesia, música, magia, heróis, pings e bongs, bailados de mãos e… silêncio.

A maestrina conduz uma floresta, e há uma orquestra, que dividida por naipes e com muita poesia, vai ensaiando com brincadeiras, coreografias, músicas, sons de vento e de pássaros e até de palavras proibidas.

No final, floresta e orquestra farão a sua apresentação… e haverá uma surpresa.